contato@falandodecondominio.com.br

Quais as principais vantagens de ser síndico?

Vida de Síndico

O síndico tem um papel fundamental para o bom funcionamento de um condomínio. É ele quem zela pelos espaços em comum, media conflitos, soluciona problemas e é o porta-voz dos moradores para propor melhorias contínuas.

Quando o síndico cumpre seu papel com bastante responsabilidade e amor pelo trabalho, os outros condôminos reconhecem o esforço e dedicação e passam a respeitá-lo ainda mais. Sua palavra e opinião são ouvidas com mais atenção durante as assembleias e ele ganha apoio da maioria dos moradores nas decisões mais difíceis que precisa tomar. 

Porém, por ser uma função de grande importância, responsabilidade e dedicação, muitas pessoas acabam enxergando só o “lado negativo” da função e, por isso, quase sempre é muito difícil encontrar condôminos dispostos a se tornarem síndicos. Mas, o que pouca gente percebe é que aceitar esse desafio traz muitas vantagens como um grande desenvolvimento profissional e pessoal para quem o exerce. 

Além dos ganhos pessoais como reconhecimento, admiração, desenvolvimento de habilidades gerenciais e relacionamento interpessoal, o síndico tem algumas vantagens que servem para incentivá-lo a continuar desempenhando seu papel satisfatoriamente. 

[Checklist] Para síndicos e condomínios

As principais vantagens de ser síndico: 

  1. Todas as conquistas e realizações que o síndico trouxer para o condomínio, como melhorias dos espaços comuns ou economia recursos, ele próprio e sua família também usufruirão dos benefícios. 
  1. A preservação patrimonial reflete diretamente na valorização do imóvel. Você poderá ter um bom retorno financeiro, caso decida vender ou alugar seu apartamento. 
  1. O síndico lida com moradores, funcionários e fornecedores. Cada um com sua bagagem cultural, crenças e estilo de vida. Com isso, ele acaba adquirindo habilidades fundamentais de liderança e aprende, na prática, a gerenciar pessoas.
  1. Por falta de candidatos a síndico, muitas vezes, a administração do condomínio é entregue a uma empresa terceirizada, que vai demorar muito mais tempo para identificar e resolver problemas. O síndico faz parte do condomínio e, por isso, sabe como ninguém das necessidades que deverão ser priorizadas. 
  1. Se aprovado em assembleias, presente na Convenção do Condomínio e previsto no orçamento, pode haver um pagamento para quem exerce a função de síndico. O valor fica em torno de um salário mínimo. Em alguns condomínios, caso o síndico tenha conhecimentos técnicos, a remuneração pode ser bastante razoável. 
  1. O mais comum é que o síndico seja isento da taxa de condomínio pelo período que o morador exercer a função. Se for um condomínio muito grande, pode-se acumular a remuneração e a isenção da taxa de condomínio. 

O que é preciso para ser síndico?

A cada dois anos é realizada uma eleição para escolher um novo síndico. Quem tiver interesse, deverá avisar o corpo administrativo para candidatar-se. 

É importante que os candidatos a síndico saibam que é desejável ter conhecimento e habilidades em de assuntos como:

  • noções básicas de contabilidade, pois será responsável por administrar todo o dinheiro, das contas a pagar e demais dividendos;
  • gestão de pessoas, lidará com colaboradores, moradores e fornecedores e enfrentará muitos problemas e conflitos; 
  • relações e obrigações trabalhistas, assim ele garantirá que a lei seja respeitada e os colaboradores tenham seus direitos e deveres preservados;
  • noções sobre eletricidade e hidráulica para tomar providências ágeis e inteligentes relacionadas a isso; 

Além das habilidades descritas acima, é importante saber que o síndico terá uma série de funções e obrigações que precisarão ser colocadas em prática com bastante seriedade, pois são determinadas por lei (Art. 1348): 

I - convocar a assembleia dos condôminos;

II - representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns;

III - dar imediato conhecimento à assembleia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio;

IV - cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia;

V - diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;

É importante ressaltar que o artigo garante o direito de o síndico transferir a outrem, total ou parcialmente, os poderes de representação ou as funções administrativas, mediante aprovação da assembleia, salvo disposição em contrário da convenção.

Redação Portal

Redator

Acesse meu perfil

COMPARTILHE

Assine nosso newsletter

Inscreva-se para receber nossas novidades e promoções.