contato@falandodecondominio.com.br

Isolamento Social: como manter o bem-estar coletivo em condomínios

Notícias
O isolamento social em condomínios traz um grande desafio para os síndicos conseguirem preservar o bem-estar coletivo e a harmonia entre os condôminos. Com a adesão de muitas empresas ao modelo de trabalho “home-office” e a suspensão das aulas presenciais, moradores passaram a conviver com seus vizinhos muito mais horas por dia do que estavam acostumados e algumas atitudes começaram a incomodar: crianças agitadas correndo dentro de casa, pequenas reformas, músicas em volume alto, entre outros. Apesar de cada condomínio ter em seu regimento interno regras muito claras sobre a conduta dos moradores para zelar pela boa convivência entre os moradores, o momento atual é muito delicado, pois nunca tínhamos vivido uma pandemia e essa nova relação e todos estão se adaptando ao novo ritmo de vida. Por isso, o que deve prevalecer é o bom-senso e o espírito de coletividade.  A seguir, daremos algumas dicas de como os síndicos podem conscientizar os moradores para que todos façam sua parte.  

Isolamento social em condomínios: como manter o bem-estar coletivo

Todos os moradores devem conhecer o regimento interno de seu condomínio tão bem quanto seus direitos e deveres. Portanto, não é novidade para ninguém que a política da boa vizinhança deve prevalecer nas suas atitudes do dia a dia. Com o isolamento social e mais pessoas ficando em casa o tempo todo, todos precisam ceder e tolerar um pouco mais para que a convivência com os vizinhos se torne mais agradável. CEO MyCond orienta como se comportar no condomínio durante pandemia O síndico vai desempenhar um papel de mediador nesse momento para atender às necessidades de todos e agir sempre com sabedoria. Temos algumas recomendações que vão ajudá-lo nesse processo:  

Estipule regras temporárias

Apesar de cada condomínio já possuir regras internas, recomendamos que os síndicos façam uma revisão e estipule novas regras temporárias que deverá durar enquanto houver a necessidade de se fazer isolamento social. Por exemplo:
  • Obras que não são emergenciais podem ficar suspensas por tempo indeterminado para evitar que os ruídos não incomodem os moradores;
  • O mesmo vale para a manutenção das áreas comuns, que poderá ser feita com horários reduzidos (de preferência no meio do dia);
  • Moradores que quiserem fazer pequenas reformas em seus apartamentos deverão seguir novos horários: de seg a sex, das 10h às 16h. Aos sábados e domingos, pequenas reformas estão proibidas.
  • Grandes celebrações nos salões de festas serão suspensas também por tempo indeterminado, assim, como o uso das áreas de lazer.
  • Ruídos em apartamentos como músicas, televisão, pessoas falando alto só serão toleradas até às 20h.
Vale ressaltar que qualquer nova regra temporária que o síndico proponha aos condôminos deverá ser apresentada em assembleia deliberativa, a ser realizada em plataforma online, para que a maioria aprove ou não cada alteração e, assim, o condomínio esteja respaldado de ações judiciais futuras.  

Crianças em casa

Sem dúvida alguma, as crianças são as que mais estão sofrendo com o isolamento social em condomínios. Primeiro porque as crianças que já frequentam escolas tiveram suas aulas suspensas, segundo porque elas têm muita energia e necessitam concentrá-las em algo.  Isso acaba gerando estresse nos pais, que precisam dividir sua atenção com o home-office e com as atividades dos filhos, nas próprias crianças, que querem correr, brincar e interagir com outras crianças e não podem e, de quebra, nos vizinhos, que se incomodam com os choros, gritos e correria dos pequenos dentro de duas casas. Nesse caso, não há muito o que fazer além de exercer a empatia, a tolerância e a paciência, pois todos estão no mesmo barco. Por isso, recomendamos que, caso haja alguma reclamação nesse sentido, busque conversar com os moradores para entender o problema e busque explicar a situação para ambos os lados.  

Rede de voluntários

Como já falamos anteriormente, o momento é atípico e de pensamento coletivo. Por isso, é uma ótima oportunidade de estimular o espírito de solidariedade nos condôminos. Que tal montar uma rede de voluntariado onde os voluntários prestarão serviços ao condomínio? Seguem alguns exemplos de ações que podem ajudar bastante:
  • Apoio aos idosos - os voluntários saem para fazer as compras no lugar dos mais velhos evitando que esse grupo se exponha aos contágio do coronavírus;
  • Contadores de histórias - moradores que sejam músicos, psicólogos, pedagogos ou tenham alguma outra experiência com crianças, podem fazer lives com horário marcado para entreter as crianças.
  Conscientização, transparência e diálogo são sempre o melhor caminho para lidar com aqueles moradores mais inflexíveis e que não aceitam mudanças. Como síndico, você tem o dever de lembrar os condôminos que a saúde física e mental de todos está em jogo e que é só questão de tempo para tudo voltar ao normal. Não deixe de acessar o nosso blog e ficar por dentro de todas as dicas para contornar a crise do coronavírus nos condomínios.

Redação Portal

Redator

Acesse meu perfil

COMPARTILHE

Assine nosso newsletter

Inscreva-se para receber nossas novidades e promoções.