Como o síndico profissional pode ganhar mais dinheiro?

Como o síndico profissional pode ganhar mais dinheiro?

Como o síndico profissional pode ganhar mais dinheiro?

Já se foi o tempo em que a função de administrar um condomínio era responsabilidade de um dos próprios moradores. Atualmente, é possível que essa função seja executada por uma pessoa especializada na função: o síndico profissional.

Em alta no mercado de trabalho, a remuneração do síndico profissional pode chegar a ganhar até R$ 20 mil por mês, em alguns casos. 

Mas o que é preciso fazer para se iniciar nessa carreira? Como chegar até esse valor? Quais são os pré-requisitos e as qualidades necessárias para se tornar um síndico profissional valorizado? Quais são os diferenciais?

Saiba mais sobre os detalhes da profissão e confira nossas dicas de como ampliar sua renda, atuando como síndico profissional.

Primeiramente: o que faz um síndico profissional?

O síndico profissional é a pessoa física ou jurídica que trabalha de forma terceirizada na administração de condomínios – tanto residenciais quanto comerciais.

Suas funções e responsabilidades são as mesmas de um síndico comum, como:

  • Cumprir as exigências legais – que são muitas (dependendo do caso, mais de 40 itens);
  • Cuidar da gestão de contratos;
  • Prestar contas da sua gestão;
  • Elaborar plano de ação e executar;
  • Gerenciar riscos;
  • Monitorar o trabalho dos colaboradores;
  • Administrar as compras e finanças do condomínio;
  • Resolver questões de infraestrutura e segurança;
  • Estabelecer o cumprimento das normas internas;
  • Solucionar conflitos entre moradores;
  • Organizar e presidir assembleias, entre outras funções.

Entretanto, a diferença entre os dois está no tipo de administração desempenhada. Um síndico tradicional geralmente é um morador do prédio, que está presente no dia a dia do condomínio e que tem uma relação mais próxima com os moradores, resolvendo as coisas do dia a dia com base no bom senso e no relacionamento. A sua força é a proximidade.

Já um síndico profissional, como o próprio nome sugere, é alguém que exerce a função de síndico como profissão. Normalmente se trata de uma pessoa especializada em administração, que é contratada pelos moradores para cuidar dos assuntos do condomínio – o que visa proporcionar uma gestão mais organizada, eficiente e impessoal. A base da gestão profissional é a metodologia de trabalho: o desenho e execução dos processos de gestão visam garantir a previsibilidade de bons resultados. A sua força é a qualidade dos resultados.

O mercado de trabalho para o síndico profissional

Apesar de ser recente, o mercado de trabalho para síndicos profissionais é promissor. Em São Paulo, por exemplo, mais da metade dos condomínios “grandes” – aqueles com mais de 700 unidades – já estão sob o comando de um síndico profissional.

A expansão dos condomínios, cada vez maiores e mais complexos de serem administrados, faz com que a profissão esteja em alta. Ao mesmo tempo que existe uma demanda constante por uma gestão profissional e eficiente, o número de condôminos interessados pela função tende a ser menor.

A legislação brasileira deposita muita responsabilidade em cima do síndico, especialmente por ter que lidar com problemas entre vizinhos e administrar as finanças do condomínio. Devido a isso, a figura do morador-síndico vem perdendo espaço para a atuação do profissional.

Como é a remuneração do síndico profissional?

A remuneração pode vir de três formas:

  • Valor-hora fixado: o síndico profissional cobra por seu serviço a partir de um valor tabelado, que varia de acordo com o número de horas trabalhadas.
  • Porcentagem do orçamento: para desempenhar suas funções, o síndico profissional recebe uma parcela das taxas de condomínio, pagas pelos moradores. Geralmente, esse valor pode ir até 5%, em prédios que arrecadam até R$ 60 mil por mês.
  • Salários mínimos: a remuneração do síndico profissional também pode ser baseada em um número de salários mínimos. Por exemplo: em um prédio com uma torre de 40 apartamentos e área comum de uma quadra e um salão de festas, o valor cobrado pelo síndico varia entre 2 e 3 salários mínimos.

Como ganhar bem trabalhando como síndico profissional?

Como em toda profissão, a remuneração do síndico profissional vai depender, sobretudo, da sua capacidade de entregar bons resultados. Quanto melhor o síndico profissional desempenhar suas funções, mais valorizado ele será para o mercado – e consequentemente, poderá ganhar mais.

Existem alguns aspectos que podem elevar a renda do síndico profissional:

1. Número de condomínios

Nem sempre o condomínio exigirá dedicação exclusiva. Dependendo do espaço a ser administrado, ferramentas de tecnologia, equipe e liderança, são necessárias mais do que três visitas semanais do profissional. Por isso, são comuns os casos de síndicos que trabalham em mais de um condomínio.

Podemos dizer então que o síndico profissional que tem sucesso na administração de muitos condomínios é aquele que entrega bons resultados por ser um formador de equipe, com grande capacidade de liderança e que utiliza a tecnologia para lhe dar suporte e informação. 

Quanto mais condomínios ele conseguir trabalhar, maior será sua renda. Para administrar um condomínio de pequeno porte, por exemplo, o síndico ganha, em média, R$ 2.500 por mês. Se o profissional conseguir gerir dez condomínios ao mesmo tempo, sem prejudicar a qualidade do seu trabalho, sua renda poderá ser de até R$ 25 mil por mês. Há casos de síndicos profissionais que administram mais de 40 condomínios simultaneamente.

2. Tamanho e complexidade dos condomínios

Quanto maior e mais complexo for o condomínio, mais difícil será a tarefa de administrar. Em contrapartida, a remuneração do síndico também será maior. Um condomínio de grande porte, por exemplo, com muitos prédios, unidades e áreas de lazer, como piscina, academia e quadras, pode pagar até R$ 7.000 mensais para o profissional.

Obviamente, tais espaços demandarão mais dedicação. Para assumir prédios maiores, o síndico profissional precisa contar com um bom suporte de sua equipe e de ferramentas tecnológicas ou terá que abrir mão de outras atividades (como administrar outros condomínios). Logo, o recomendado é analisar qual das condições compensa mais.

3. Qualificação e experiência

Mesmo não sendo uma profissão regulamentada, o síndico que possui uma boa formação tende a desempenhar melhor e ser melhor remunerado. Cursos superiores como administração e direito são valorizados pelo mercado, embora não sejam imprescindíveis.

Existem diversos cursos de curta duração para síndicos profissionais, tanto na modalidade presencial quanto a distância. Entretanto, para quem procura uma qualificação mais sólida, o mercado também oferece formações profissionalizantes na área, com cargas horárias maiores e emissão de certificado.

Por ser uma função que envolve gestão e relacionamento com pessoas, a experiência prévia como síndico também é bastante valorizada. Um profissional experiente na área e com mais tempo de atuação, pode ganhar até três vezes mais do que quem está começando agora.

4. Metodologia de Trabalho, Processos e Qualidade 

A boa administração demanda o desenvolvimento de metodologia adequada. Ou seja, em cada  situação existirá uma forma considerada “padrão” para resolvê-la. Esse “padrão” deve evoluir continuamente evitando que erros do passado sejam repetidos futuramente. São as “melhores práticas”. Cada processo de gestão deve ser definido de modo a proporcionar a adoção dessas “melhores práticas”.

O resultado disso é a previsibilidade de resultados, também conhecida como Qualidade.

Qualidade é o ponto crucial para o sucesso do  síndico profissional.

Cursos de síndicos profissionais em sua maioria não possui a visão e o foco nos processos de gestão. Seu conteúdo é mais direcionado a “o quê” fazer e menos em exatamente “como” fazer, deixando que o síndico se vire para descobrir sozinho usando sua capacidade de improvisação e bom senso para resolver problemas futuramente.

Acreditamos que isso decorra da premissa de que o síndico sempre delegará esses processos e serviços de gestão às tradicionais “administradoras”, portanto, não precisaria conhecer profundamente todos os detalhes envolvidos. Situação bem cômoda para administradoras tradicionais, porém bastante limitadora ao crescimento do síndico profissional. Porém, o síndico continua sendo o responsável por tudo.

De certa forma isso dificultaria a formação do síndico profissional, uma vez que ao admitir que uma parte do trabalho (sob a sua responsabilidade Civil e Criminal) será feita por outra pessoa. Será que estará sempre certo? 

O síndico profissional entrando no mercado vai querer “puxa esses caras estão no mercado há mais de 30 anos e logo eu, que cheguei agora, teria a pretensão de discordar deles?” 

É fato que muitas administradoras são excelentes e cuidam de seus processos com bastante zelo e competência, mas esse não é sempre o caso. Pesquisas que fizemos com Síndicos apontam para a “falta de estrutura de atendimento” e “falta de transparência” como principais problemas das administradoras.

A RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL PELA ADMINISTRAÇÃO É DO SÍNDICO, não importa se ele delegou parte das atividades administrativas. A responsabilidade por delegar é dele também! Por isso, acredite, os Síndicos Profissionais de maior sucesso são os que conhecem os processos como a palma de suas mãos e exigem, seja de quem for, o fiel cumprimento dos mesmos. 

5. Tendências e Alternativas Reais

Vivemos a era digital, de profundas transformações, onde verdadeiras revoluções acontecem a cada dia. Uma nova fera ameaça e desequilibra o status quo como uma besta indomável, uma espécie de Dragão Digital com o poder de acabar com algumas profissões e de criar outras em velocidade exponencial e sem precedentes. Tarefas de fácil automação e trabalhos repetitivos são as presas fáceis para o temido Dragão Digital.

Analisando o ecossistema dos condomínios, vemos que as presas fáceis são as administradoras e os escritórios de contabilidade da forma como existem hoje.

Os serviços realizados por esses agentes são fáceis de automatizar. Para resistir à concorrência, funcionários experientes são demitidos para cortar despesas na tentativa de manter essas empresas no jogo. Como os processos existentes dependem dessas pessoas e de seu discernimento, o resultado é o que vemos no mercado: declínio do nível de serviço e da satisfação dos clientes (síndicos).

Mas, na prática, o que isso pode significar para o Síndico Profissional? 

Qualidade em declínio em sua retaguarda administrativa (administradoras tradicionais) pode prejudicar o seu desempenho e respingar em VOCÊ. Esta é uma tendência.

O que fazer então? 

Assuma a gestão! Com ou sem administradora, tradicional ou digital, você precisa assumir e chamar para si a tarefa de garantir a qualidade do seu serviço, pois essa é única forma de valorizar a sua carreira, e fazer a sua remuneração crescer.

Hoje há soluções que lhe permitem implementar em plataforma digital uma METODOLOGIA DE GESTÃO, com melhores práticas, controles de risco, apoio jurídico, transparência, rastreabilidade, praticidade, e tudo o mais que hoje é feito por uma administradora.

Dentre as soluções desse tipo, destacamos Moviva, em nossa opinião a mais completa, avançada e eficiente do mercado.

Essa plataforma implementa digitalmente 100% dos processos de gestão condominial,  permitindo ao Síndico total controle e independência em sua gestão. É como um Banco Digital. Além da comodidade e das funcionalidades, permite que um Síndico possa atender a um número muito maior de condomínios (renda) e realmente focar na parte que não interessa ao temido “dragão digital”: relacionamento. 

Ao trocar os custos da Administradora e da Contabilidade pelo da plataforma digital, o Síndico levará economia para o condomínio e ainda terá margem para aumentar a sua remuneração.

Vale a pena ser síndico profissional?

Por ser um profissão em ascensão, vale a pena se dedicar e trabalhar como síndico. O salário é atrativo e, investindo em uma boa formação e desempenhando bem suas funções, com foco em processos, a tendência é que o profissional aumente progressivamente sua renda. Com o passar do tempo, e com ferramentas adequadas é possível começar a trabalhar para diversos condomínios ao mesmo tempo, que obviamente pagarão mais pelos seus serviços. Qualidade é a chave. Pense nisso!

Quer saber mais sobre como construir uma bela carreira como síndico profissional? Continue lendo nosso blog e aprenda sobre diversos temas relacionados à profissão. Até mais!

Implemente o Sistema Individual de Medição de Gás no seu condomínio: Mais economia e controle

Receba nossa
Newsletter:

síndico profissional